Resenha: Objetos Cortantes

escrito por - quarta-feira, fevereiro 14, 2018

Olá pessoal, estou aqui de volta com a mais nova autora da minha vida: Gillian Flynn. Eu te venero e quero ler até sua lista de compras, a muito tempo atrás eu li "Garota Exemplar" e ele virou um dos meus livros favoritos da vida, sempre que isso acontece eu fico meio receosa para  ler outros livros da mesma autora e me decepcionar, mas finalmente comprei mais um da Gillian e olha, não me decepcionei nem um pouco, essa mulher é maravilhosa, então vamos lá a resenha de "Objetos cortantes" ou como dizemos aqui no meu país Salvador/Bahia, negócios amolados.


Título: Objetos Cortantes
Autor(a): Gillian Flynn
Editora: Intrísica
Páginas: 254
Ano de Publicação: 2015
Gênero: Suspense e Mistério
Nota: 4,5/5
Sinopse: Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.
Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

Camille é uma mulher de 30 e poucos anos que trabalha como repórter de crimes em um pequeno jornal em Chicago, seu jornal não é muito conhecido e ela nem de longe é uma das melhores jornalistas dali, porém seu editor chefe acha uma manchete sobre uma garotinha de 9 anos morta e outra desaparecida em uma cidadezinha que por coincidência é a cidade natal de Camille e ela é mandada para cobrir esses homicídios. Mas a cidade não tem um bom efeito nela já que ela tem uma doença que tende a se cortar. Um dos motivos disto acontecer é sua família, e voltar para lá irá trazer lembranças nada boas.

Ela não tem um bom relacionamento com sua mãe, e muito menos com seu padrasto, nunca conheceu seu pai biológicos e nem seus avós, e sua primeira irmã morreu quando ainda tinha 4 anos e ela nem ao menos conhece sua nova irmã, chamada Amma, e quando ela passa a conhecer essa pré adolescente de 13 anos, e as novas garotas da cidade, fantasmas do seu passado começam a ressurgir.


Gente, vou dizer a vocês que até as últimas dez páginas desse livro eu dizia, "é Gillian, o livro foi bom mas estava um pouco óbvio sobre quem matou essas crianças não é mesmo?" Mas ela vai lá e dá uma reviravolta que você claramente não esperava, a primeira coisa que preciso pontuar é como essa autora consegue criar personagens tão maravilhosos, tanto em Garota Exemplar quanto em Objetos Cortantes, mesmo as pessoas sendo "vilãs" eu não conseguia odiá-las porque elas eram tão fascinantes que esse sentimento de raiva por elas não duravam por muito tempo.


Eu não tenho quase nada de ruim a falar sobre o livro, os personagens são ótimos, a ambientação foi maravilhosa, o jeito como ela descreve a cidadezinha é tão bom que você já se sente parte daquela comunidade,o único ponto que eu tenho que ressaltar que foi o motivo do livro ter recebido 4,5 e não cinco foi que quando finalmente descobrimos quem matou aquelas garotinhas o livro acaba, queria muito que tivesse mais páginas explicando como funcionava a mente do assassino(a), o real motivo e como ela fez aquilo, achei muito vaga a explicação.

Confesso que para a maioria das pessoas o final vai ser ótimo, mas eu confesso que gosto de coisas mais detalhadas, chega a ser um pouco sórdido mas para mim entender o que se passava na cabeça da pessoa quando ela fez isso torna o livro mais real, eu gostaria muito se a Gillian fizesse um livro protagonizado pelo assassino. Esse foi o primeiro livro que a autora escreveu e o fez com maestria, só tende a evoluir, quero ler todos os livros que ela escrever, espero que queiram também.

Beijos e até a próxima.

Você vai gostar de ler...

0 comentários